Um homem identificado como Renan Silva Sena foi detido por policiais de Brasília acusado de integrar o grupo que atirou fogos de artifício em direção ao Supremo Tribunal Federal na noite de sábado, 13, além de xingar o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e ofender os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo informações do Correio Braziliense, os agentes da Polícia Civil usaram um carro descaracterizado para abordar Sena no Setor de Indústrias Gráficas (SIG). Ele estava acompanhado de um grupo bolsonarista, que tentou impedir a ação policial.

Após a ação, 25 manifestantes se concentraram em frente ao prédio da polícia, e tentou invadir o local, mas foram contidos pelos policiais.

A advogada do acusado, Lis Bety, disse ter sido barrada pelos agentes, e que ainda não sabia qual delito havia levado seu cliente à delegacia.

Em maio, Renan Silva Sena agrediu verbalmente enfermeiras que protestavam na Praça dos Três poderes.

Neste domingo, o Ministério Público Federal afirmou que vai abrir inquérito para investigação do ataque ao Supremo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui