O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (10) a recriação do Ministério das Comunicações. Com isso, a pasta será desvinculada do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, chefiada por Marcos Pontes.

O novo ministério será comandado pelo deputado Fábio Faria, do Partido Social Democrático (PSD), legenda que integra o chamado “Centrão”. O presidente, no entanto, garantiu que a indicação do parlamentar não tem relação com o partido.

Ele assegurou ainda que, apesar de Faria não ser do ramo, tem capacidade para gerir o ministério. O novo ministro é marido de Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, que apoia o Jair Bolsonaro.

Os Ministérios das Comunicações e da Ciência e Tecnologia foram unificados em 2016 pelo então presidente Michel Temer.  Com a recriação, o novo ministério absorverá a Secretaria Especial de Comunicação Social, órgão vinculado à Secretaria de Governo da Presidência, responsável pela divulgação das ações do Planalto e que é comandada por Fabio Wajngarten.

Na porta do Palácio da Alvorada, o presidente da República disse ainda que a recriação da pasta não acarretará em custos adicionais aos cofres públicos. Ele afirmou que a recriação do Ministério das Comunicações acarretará em mais autonomia para o trabalho do ministro e permitirá maior cobrança por parte do Executivo.

Segurança Pública

No mesmo dia da recriação da pasta, o ministro da Justiça, André Mendonça, descartou, por enquanto, a recriação do ministério da Segurança Pública. Ele admitiu que isso não deve acontecer imediatamente e explicou que, apesar do presidente defender a possibilidade, a decisão ainda não foi tomada formalmente.

O ministro da Justiça disse que a questão está sendo discutida com os secretários de Segurança Pública. A prioridade atual, de acordo com André Mendonça, é construir, conjuntamente com os Estados, uma nova política de segurança Pública.

*Com informações da repórter Camila Yunes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui