Autoridades da China ordenaram que partes de Pequim fossem fechadas, e adotaram medidas classificadas por um funcionário como “medidas do tempo da guerra”, após a capital voltar a registrar um número recorde de novos casos da covid-19. A preocupação é de que a doença possa estar ressurgindo no país.

No sábado, Pequim confirmou 36 novas infecções da covid-19, máxima diária já vista na cidade, informou a Comissão Nacional de Saúde. A cidade descobriu ainda outros oito casos até a manhã deste domingo, elevanto o total nos últimos três dias para 50.

Todos os casos são oriundos de transmissão local e estavam ligados ao Xinfadi, mercado atacadista de carne e vegetais no distrito de Fengtai, sudoeste da cidade, que fornece alimentos para grande parte da região. Antes do caso no mercado ter sido descoberto, na quinta-feira, Pequim estava há 56 dias sem casos transmitidos localmente.

Agora, foram impostas em Pequim restrições de viagem, lockdowns nas residências e uma grande mobilização para testar a temperatura das pessoas e garantir quarentenas.

Autoridades fecharam outros cinco mercados da capital no fim de semana, e impuseram lockdown em várias escolas e áreas residenciais próximas de Xinfadi.

* Com Estadão Conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui