O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, passou o domingo em sua casa, na Barra Funda, zona oeste da capital, isolado, após o diagnóstico de infecção pelo novo coronavírus, recebido neste sábado, 13. Ele continua sem sintomas, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura.

Por estar se tratando de um câncer e ter contato diário com o público, o prefeito vinha sendo testado periodicamente. No quarto teste, cujo resultado saiu neste sábado, o positivo foi confirmado.

Covas descobriu, em novembro passado, um câncer no sistema digestivo, que já havia sofrido metástase (se dividido e se espalhado) para a cárdia (o local de transição entre o esôfago e o estômago), para o fígado e para um dos gânglios linfáticos, localizado no abdome. Até fevereiro, fez sessões de quimioterapia para combater a doença, eliminando os tumores da cárdia e do fígado.

O câncer restante, em um dos gânglios, vinha sendo tratado com imunoterapia, um tratamento que serve para fortalecer o sistema imunológico, de forma que o próprio corpo acaba por eliminar o tumor. Ele está na sexta de oito sessões do tratamento.

O tratamento do câncer continua, em paralelo à infecção pela covid-19. Desde que decretou estado de calamidade pública em São Paulo, em março, Covas havia montado uma cama em seu gabinete, no quinto andar do Edifício Matarazzo, no Viaduto do Chá. Na quinta-feira, diante da reabertura comercial parcial da cidade, o prefeito decidiu voltar para casa. No sábado, soube que também estava com a infecção causada pelo coronavírus.

O prefeito vem sendo acompanhado pelo infectologista David Uip, que também já teve a doença e se curou. Covas afirmou no sábado que não se licenciará do cargo.

* Com Estadão Conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui