A pandemia da Covid-19 está afetando todos os setores da econômica. Empresas de eletrônicos projetam queda de 68% na produção em 2020. Os efeitos da crise para o setor foram explicados pelo presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato, em entrevista ao Jornal da Manhã deste sábado (6).

De acordo com Barbato, inicialmente, com o aumento no número de pessoas trabalham em casa, houve um crescimento nas vendas de computadores. Entretanto, mesmo assim, as indústrias do setor tiveram queda de 30,3% na produção de eletroeletrônicos no mês de abril em comparação ao mês de março.

Por isso, algumas empresas já estimam recuo de, pelo menos, 15% com a produção de 2019, chegando a projeções de redução de 68%.

O presidente da Abinee afirmou, com o fechamento do comércio pela quarentena, as vendas online garantiram o faturamento das empresas e a continuidade da produção nesses últimos três meses. Porém, “as vendas pela internet ainda não fazem o papel que as lojas físicas fazem”, o que levou a queda de 40% na venda de itens de informática e de 70,3% nos eletrodomésticos vendidos em abril.

Apesar da baixa nas vendas, Humberto Barbato lembrou que algumas empresas fizeram alterações em sua produção e passaram a fabricar respiradores para o sistema de saúde, minimizando os efeitos da crise.

“Isso [produção de ventiladores] é que demonstra a importância de ter indústria no Brasil. Nós conseguimos fornecer ao Estado os respiradores em um momento de crise como esse”, afirmou o presidente da Abinee, ressaltando a importância do setor na pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui