Para combater a escala da violência contra a mulher durante o período de isolamento social, entidades ligadas ao Poder Judiciário lançam a campanha Sinal Vermelho. A ação é voltada para as vítimas que não conseguem denunciar a violência sofrida por estarem convivendo 24 horas por dia com seus agressores.

No lançamento da campanha, nesta quarta-feira (10), o presidente do Supremo Tribunal Federal disse que dez mil farmácias em todo o país vão integrar a iniciativa. Dias Toffoli explicou que as mulheres devem mostrar um X vermelho na palma da mão para que o atendente entenda que se trata de uma denúncia e acione a polícia.

De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o feminicídio cresceu 22% nos primeiros meses de isolamento pela Covid-19. No mesmo período, as chamadas para o serviço um 180 subiram 34%.

O número de boletins de ocorrência ligados a esses crimes caiu, em um indicativo de que as mulheres estão com maior dificuldade para prestar queixas durante a quarentena.

A coordenadora-adjunta do CNJ, responsável pela campanha, Maria Cristiana Ziouva, destacou que fatores externos contribuem para a escalada da violência doméstica.  O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, que também participou do lançamento da campanha, ressaltou a importância das instituições no combate à violência.

De acordo com a Associação dos Magistrados Brasileiros e o CNJ, as mulheres poderão identificar as farmácias participantes da campanha por meio de cartazes nas portas.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui