O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou que enviará ao Congresso a proposta de reforma tributária em até dois meses. As discussões sobre o tema estavam sendo realizadas no Legislativo e foram suspensas por causa da crise do coronavírus.

Mansueto Almeida disse que esta é a reforma mais importante que precisa ser aprovada no país e, segundo ele, é também a mais difícil. Atualmente existem duas propostas em tramitação no Congresso: uma na Câmara e outra no Senado.

O secretário afirma que ainda será necessária muita discussão política para saber qual texto será aprovado, mas que os debates têm avançado. O secretário do Tesouro Nacional afirmou que o Brasil tem sérios empecilhos com relação à temática, uma vez que o país possui uma alta carga tributária e vários impostos que incidem sobre a mesma base.

Mansueto destacou um outro problema que, segundo ele, dificulta a vinda de investidores estrangeiros. Para o secretário, a constante mudança de regras torna o cenário brasileiro incerto para o empresário, que não consegue ter perspectivas e visão a longo prazo. Por isso seria necessário adotar normas mais “simples e claras”.

Mansueto Almeida classificou o imposto único como “um tiro no escuro”, disse que o modelo é inviável para o Brasil e reiterou que o país precisa de medidas que tornem o sistema tributário menos complexo.

O secretário do Tesouro Nacional falou ainda que o pagamento de impostos deve ser estabelecido de acordo com a renda do contribuinte.

*Com informações da repórter Camila Yunes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui