SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Neste domingo (14), foi a vez de Manu Gavassi se manifestar sobre o conflito entre Anavitória, Tiago Iorc e Felipe Simas, ainda que de forma indireta. A cantora postou um story em seu Instagram com uma foto da dupla formada por Ana Caetano e Vitória Falcão, dizendo “Vídeo de duas meninas/mulheres de coração lindo captado por esse cara de coração igualmente lindo”.

Simas gerencia a carreira de Manu Gavassi desde 2016, tendo sido responsável por “convencer” a artista a aceitar o convite para participar do BBB 20, em que conquistou o terceiro lugar -e milhões de seguidores.

Na publicação, Manu afirma que é “precioso demais trabalhar com gente do bem, que a gente admira, ama e confia”, dizendo que, nesses casos, “não parece trabalho, parece família. E família a gente protege”. A cantora disse ainda sentir que estamos entrando em uma era em que “a verdade é escancarada” em todas as áreas. “Ainda bem. Viva a arte de quem tem arte no coração”, finaliza.

ENTENDA O CASOEm live transmitida na noite de sexta (12), Ana Caetano disse, sem citar o nome de Iorc, que o amigo que a ajudou a escrever “Trevo (Tu)” as estaria impedindo de regravar uma versão da faixa que integrou o primeiro álbum do duo, lançado em 2016. “Me dói muito isso acontecer. Eu espero que os caminhos dessa música nunca sejam interrompidos. E eu espero que essa pessoa receba essa mensagem porque é com todo o meu coração e todo o meu amor”, disse Ana.

Em resposta, o músico publicou um vídeo em seu perfil no Instagram no sábado (13) em que chamou o desabafo da compositora de “atitude impensada”, disse que ela não sabia “da missa, a metade” e acusou Felipe Simas de tentar atrapalhar sua carreira. “O escritório que gerencia a carreira de vocês, que é o escritório com o qual eu trabalhava, vem repetidamente sabotando o meu trabalho, agindo de má-fé, para me prejudicar, causando danos inclusive financeiros”, disse em seu comunicado, argumentando que estava apenas revendo seus direitos autorais sobre a criação.

Horas mais tarde, Simas foi ao Twitter rebater os comentários, dizendo considerar “gravíssima” a acusação pública do cantor e que “assuntos assim devem ser tratados na Justiça”. O empresário afirmou que, além de ter censurado o lançamento da versão ao vivo da canção, Iorc “se nega a dialogar com as meninas há mais de dois anos”. Simas argumentou também que liberar uma música não significa abrir mão dos direitos autorais sobre ela, mas sim apenas autorizar seu lançamento, fazendo com que todos os autores sejam recompensados igualmente por sua performance. “As questões profissionais de Tiago Iorc comigo não deveriam servir de motivação para ele prejudicar o trabalho de Anavitória. Censurar um artista de interpretar sua própria música é um ataque à arte”, defendeu.

No início de junho, Iorc anunciou que, após encerrar a parceria com Simas havia criado seu próprio escritório para cuidar de todos os assuntos relacionados a sua carreira. Assim, também deixou de produzir os discos do duo, que segue sendo agenciado por Simas. No início da carreira da dupla, o empresário havia convidado o cantor e compositor para cuidar da produção musical delas. “Essa parceria [do cantor com a dupla] se encerrou em 2019, de forma consensual, considerando discordâncias profissionais entre as partes”, dizia a nota oficial enviada pelo empresário à reportagem na ocasião.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui