O ministro da Infraestrutura minimizou o impacto da pandemia no cronograma de concessões. Tarcísio de Freitas afirmou que os projetos estão adiantados e espera a retomada dos leiloes ainda no segundo semestre de 2020.

“A gente, no primeiro semestre, estava na fase de preparação — e é isso o que está acontecendo agora. A pandemia, por mais severa que seja ela, trás uma repercussão pequena nos cronogramas. De certa forma, o que tínhamos planejado já era a concentração desses leilões no segundo semestre.”

O setor aéreo deve ter atrasos e ficar para o inicio de 2021, dado o alto impacto na movimentação durante a pandemia. Na lista de concessões estão 43 aeroportos, como Santos Dumont e Congonhas, e 17 mil quilômetros de rodovias — alem de ferrovias e a desestatização de portos.

“Nós estamos tranquilos com relação ao interesse dos investidores, sobretudo estrangeiros, no nosso programa de concessão. A gente vem se destacado pelas modelagens, que são cada vez mais técnicas e que traduzem uma curva de aprendizado que nós obtivemos ao longo dos anos.”

Tarcísio de Freitas participou de uma live do Portal Infra. O ministro explicou que o reequilibro dos contratos vai envolver apenas as empresas que tiverem impacto do coronavírus —  sobretudo aeroportos — e não empresas e setores com inadimplências e demais pendencias anteriores à pandemia.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui