Anelise Dolores está internada em Cuiabá. Ela, os filhos e outros parentes fizeram o exame. Adriano Silva morreu na última quarta-feira (3)
JL Siqueira/ ALMT
A mulher do ex-reitor na Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat), Adriano Silva, de 49 anos, que faleceu na semana passada com Covid-19, está internada em Cuiabá, até que seja divulgado o resultado dos exames dela. O laudo deve apontar se ela contraiu ou não a doença do marido.
De acordo com a família, Anelise Dolores está bem e não apresenta sintomas de coronavírus, mas que, como a evolução dos sintomas Adriano ocorreu rapidamente, optou por ser acompanhada pelos médicos no hospital.
Adriano faleceu dois dias depois de começar a passar mal e ser internado, no Hospital São Luiz, em Cáceres, onde morava com a família. Quando ele morreu, ainda não tinha a confirmação da doença.
A confirmação saiu no boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES) de domingo (7).
A família solicita às pessoas que tiveram contato com ele nas duas últimas semanas que façam o teste para Covid-19 também e mantenham todos os cuidados médicos, se necessário, além das medidas preventivas e de isolamento social anunciadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Adriano morreu na última quarta-feira (3), em Cuiabá. A confirmação saiu no domingo. Conforme o boletim divulgado pela SES-MT, o professor não tinha nenhuma comorbidade que o colocasse no grupo de risco.
Adriano sofreu duas paradas cardíacas quando era transferido para um hospital particular de Cuiabá em uma UTI aérea e morreu horas depois de chegar na capital.
Últimas notícias do estado no G1 Mato Grosso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui