A nomeação do deputado Fábio Faria (PSD) para o Ministério das Comunicações, teve repercussões mais positivas do que negativas no meio político. A escolha foi vista como mais um passo para solidificar a aliança do presidente Jair Bolsonaro com o chamado “Centrão”, colocando no primeiro escalão do governo uma das legendas que compõem o grupo.

A decisão também agradou ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de quem Fabio Faria também é próximo. Assim, o novo ministro pode servir como uma ponte entre Palácio do Planalto e Congresso, buscando pacificar as relações entre os poderes. Em entrevista ao site Jota, Maia disse que Faria foi uma uma boa escolha”.

Na live pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro disse que apesar da criação de uma nova pasta, não houve aumento de despesa e nenhum novo cargo foi criado. Segundo ele, “o grande trabalho do ministério é as comunicações como um todo”, especialmente a chegada da tecnologia 5G ao Brasil. Bolsonaro aponta que deu orientações ao novo ministro.

O governo recebeu críticas pelo anúncio, não só por dar um cargo de primeiro escalão a um político do centrão, mas também por aumentar o número de ministérios, que agora são 23, após ter traçado uma meta de quinze no início do governo. Maia, no entanto, vê o movimento com naturalidade.

Nas últimas semanas, mesmo com o início da aliança com partidos de centro, o governo tem tido dificuldade em aprovar alguns projetos e medidas provisórias na Câmara dos Deputados. Por falta de consenso, algumas votações chegaram a ser adiadas. O Planalto espera que Fábio Faria seja um dos interlocutores para corrigir o problema.

*Com informações do repórter Levy Guimarães

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui