O saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começará a ser feito a partir do dia 29 de junho para clientes da Caixa, de acordo com o mês de nascimento dos trabalhadores. O calendário foi anunciado neste sábado (13) pelo presidente do banco, Pedro Guimarães. Os demais beneficiários terão direito ao dinheiro a partir de 25 de julho.

O governo federal vai permitir saques de R$ 1.045 por trabalhador para contas ativas e inativas com saldo no FGTS. Se uma pessoa tiver R$ 500 na conta, por exemplo é este valor que poderá sacar. Se tiver um valor maior, poderá acessar até R$ 1 045.

A Caixa elaborou dois calendários: um para datas em que o dinheiro estará disponível na conta digital criada pelo banco e outro com a possibilidade de saque em dinheiro ou transferência para outras contas.

Com a conta digital, o trabalhador poderá usar o valor para pagar contas e fazer compras em estabelecimentos credenciados. Para nascidos em janeiro, o valor estará disponível no dia 29 de junho. O calendário vai até 21 de setembro, quando serão beneficiados os nascimentos em dezembro.

Para o saque em dinheiro e transferência, nascidos em janeiro serão atendidos no dia 25 de julho. Esse calendário seguirá até 14 de novembro, quando poderão sacar os trabalhadores nascidos em novembro e dezembro.

A medida faz parte das ações adotadas para atenuar os efeitos econômicos do novo coronavírus no País. Os valores poderão ser retirados até 31 de dezembro. A medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro autorizada o pagamento a partir do próximo dia 15.

De acordo com o presidente da Caixa, 60 milhões de pessoas poderão sacar o FGTS emergencial, com um impacto previsto de R$ 37,8 bilhões. No total, a Caixa calcula que 121,3 milhões de pessoas serão atendidas pelo auxílio emergencial a informais, benefício emergencial a trabalhadores com redução de jornada e saque emergencial do FGTS.

*Com Estadão Conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui