Como previsto na Fase 2 do Plano São Paulo, os shoppings centers já podem reabrir nas regiões classificadas como laranja no estado. Após protocolos apresentados à prefeitura e aprovados pela Vigilância Sanitária, os estabelecimentos iniciaram a reabertura nesta quinta-feira (11) na capital.

De acordo com a prefeitura, acordos para a reabertura do comércio, tanto o de rua quanto o de shoppings, foram assinados com a Fecomercio-SP, a Abrasce, a Alshop, a Fevabras e a Apecc — que representam a maior parte dos estabelecimentos instalados na cidade.

A princípio, os shoppings devem escolher um horário para abrir as portas: entre 6h e 10h ou entre 16h e 20h, sempre com limitação de 20% da capacidade. As praças de alimentação vão continuar apenas com os serviços delivery e drive thru, enquanto cinemas e teatros ainda não têm data para retomarem as atividades.

Para a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), a perspectiva para a reabertura é boa “mesmo com os cuidados necessários e imprescindíveis para a segurança”.

“Acreditamos que a população aprendeu muito com a pandemia e já se acostumou aos novos hábitos que serão tomados no shopping, tanto por parte dos empreendedores quanto dos lojistas”, disse à Jovem Pan.

Já para a Multiplan, empresa responsável na capital paulista pelo MorumbiShopping, ShoppingAnáliaFranco e ShoppingVilaOlímpia, as expectativas são de que “a retomada seja tranquila e serena, com uma operação segura para nossos clientes, colaboradores e para os prestadores de serviço”.

“Onde os shoppings já foram reabertos [em outros estados], notamos que o comportamento do consumidor está mais assertivo. Se antes da pandemia o tempo de permanência média era em torno de 70 minutos, hoje ele está em torno de 29 minutos. Essa compra é mais objetiva, tem uma taxa de conversão de vendas maior”, disse Vander Giordano, vice-presidente institucional do grupo.

“Novo normal”

De acordo com o protocolo desenvolvido pela Abrasce (Associação Brasileira de Shoppings Centers), que foi validado por especialistas do Hospital Sírio Libanês, o uso de máscaras por todos será obrigatório, assim como divisões de acrílico nos locais da administração com atendimento direto ao cliente.

Além disso, a temperatura dos visitantes será aferida nos principais acessos — inclusive com câmeras com sensor infravermelho importadas da China. Dispensers de álcool em gel também devem ficar à disposição em todas as áreas dos shoppings.

Entre outras medidas previstas está a automação das cancelas de estacionamento para evitar acionamento de botão, a demarcação de espaço no chão para garantir distanciamento nas filas e a sinalização de distanciamento nas escadas rolantes e elevadores.

Ainda reforçando o protocolo, a higienização de todas as áreas do shopping será feita com substância à base de ozônio, e carrinhos de bebê, cadeiras de rodas e scooters serão entregues aos clientes higienizadas e com capa protetora apropriada. Os bebedouros estarão desativados e haverá tapete de higienização de sola de sapato.

Todas as ações serão fiscalizadas pela Vigilância Sanitária. Segundo a Alshop, da mesma forma, “todo o staff dos shopping centers e os lojistas estão empenhados no cumprimento das novas normas e protocolos sanitários”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui