Marinalva Zaquimae Corezomae, de 33 anos, foi alvejada ao ser confundida com um animal por outros membros da tribo. Indígena Marinalva Zaquimae Corezomae, de 33 anos, foi morta a tiros em Mato Grosso
Facebook
A Fundação Nacional do Índio (Funai) se comprometeu a levar o autor do disparo que matou a indígena Marinalva Zaquimae Corezomae, de 33 anos, para esclarecer o fato. A Delegacia de polícia de Barra de Bugres, a 169 km de Cuiabá, informou que o depoimento do suspeito está previsto para a próxima segunda-feira (26).
Marinalva e outros indígenas caçavam na região conhecida como ‘Piapó’, quando ela foi atingida por um disparo acidental, na quinta-feira (24). Os parentes dela contaram que um dos membros da tribo teriam confundido a vítima com um animal.
O tiro acertou a clavícula da índia. Ela foi socorrida, mas chegou no hospital sem vida.
Marinalva foi sepultada na Aldeia Umitina, onde morava com a família.
O caso está sendo tratado como homicídio culposo – quando não há intenção de matar.