Gláucia explicou que, entre os principais motivos, está o de não aceitar o fim do relacionamento. Presidente do Conselho Estadual da Mulher fala sobre aumento de 40% dos feminicídios em MT
A presidente do Conselho Estadual da Mulher, Gláucia Amaral, afirmou que a motivação dos crimes contra a mulher estão relacionados a questões culturais. Entre janeiro e agosto deste ano, o estado teve um aumento de 40% no número de feminicídios.
Gláucia explicou que, entre os principais motivos, está o de não aceitar o fim do relacionamento.
“Os crimes estão cada vez mais cruéis. São crimes que não se referem a dinheiro, estamos enfrentando crimes com raiz cultural. Até 60 anos atrás, era o homem a cabeça do casal. Ele começava e terminava esse relacionamento. Hoje isso mudou, mas a raiz cultural não. Estamos entrando em um estado de calamidade”, ressaltou.
Segundo a presidente, a pandemia contribuiu para o aumento da violência contra a mulher devido ao isolamento social.
“Não podemos dizer que por causa da pandemia alguém se tornou violento, mas foi um gatilho. A violência acontece no lar, e as pessoas estiveram mais em casa durante a pandemia. As delegacias ficaram abertas, mas muitas vezes essas mulheres não conseguem nem fazer um telefonema”, explicou.
Nos oito primeiros meses deste ano, 35 feminicídios foram registrados, no entanto, segundo a secretaria, este número pode ser alterado, conforme o andamento das investigações policiais. Já em 2019, este número chegou a 25 casos.
O levantamento do Observatório da Violência também mostra que os homicídios dolosos contra mulheres tiveram redução de 31%, sendo que ocorreram 20 mortes este ano contra 29 no mesmo período do ano passado.
Gláucia ressaltou que as mulheres devem procurar ajuda e denunciar os agressores para que os casos não se agravem.
“O feminicídio é antecedido por agressões. Muitas agressões são regulares e não denunciadas”, disse.
Vanessa Goncalves da Silva Santana, de 30 anos, foi morta pelo ex-marido em Cuiabá
Facebook
Crimes mais recentes
Duas mulheres foram assassinadas no estado durante o último fim de semana. No domingo (20), em Cuiabá, Vanessa Gonçalves da Silva, de 30 anos, foi morta a tiros pelo ex-companheiro, que não aceitava o fim do relacionamento. Vanessa foi assassinada na lanchonete onde trabalhava.

Em Pontes e Lacerda, no sábado (19), Gilzete Souza Silva, de 54 anos, foi morta com uma facada. O companheiro dela, de 39 anos, foi preso e apontado como principal suspeito do crime.
Em Barra do Garças, um homem embriagado foi preso no domingo, suspeito de empurrar a mulher de 22 anos pra fora do carro em movimento. Ele ainda teria tentado atropelar a vítima.