Walmir Neto passou por mais de 20 sessões de quimioterapia e não apresentou melhora. Segundo a mãe, médico informou que existe tratamento mais avançado em uma unidade de São Paulo. Walmir Neto, de 13 anos, faz tratamento contra um câncer
Arquivo pessoal
Um estudante de 13 anos foi diagnosticado com neuroblastoma suprarrenal – câncer raro que se desenvolve nas células nervosas, como nos tecidos da glândula suprarrenal – há quatro meses e, desde então, passou por mais de 20 sessões de quimioterapia e não apresentou melhora.
Nesta segunda-feira (21), Walmir Neto passa por transfusão de sangue no Hospital de Câncer de Mato Grosso (HCan-MT), em Cuiabá.
Ariana Clara e o filho que está em tratamento
Arquivo pessoal
A mãe do adolescente, Ariana Clara, contou ao G1 que o filho foi submetido aos tratamentos mais agressivos, no entanto, o tumor continuou crescendo.
Segundo ela, os médicos informaram que não há tecnologia suficiente no estado para esse tipo de tratamento e orientou que a família procure o Instituo de Tratamento do Câncer Infantil (ITACI), em São Paulo.
“É impossível sabermos há quanto tempo ele está assim. É um tipo de tumor silencioso e nunca apresentou sintomas. Acabamos descobrindo por acaso, quando ele começou a passar mal e foi diagnosticado com pedra no rim”, contou.
Walmir Neto precisa de tratamento mais avançado, segundo a mãe
Arquivo pessoal
Para custear o tratamento de Walmir em São Paulo, amigos de Ariana decidiram fazer uma vaquinha online para tentar arrecadas R$ 300 mil. O valor será usado para custear as despesas da viagem, compra de medicamentos e exames.
A viagem para São Paulo deve aconteceu no próximo fim de semana, sem previsão de retorno.
“Agora o tratamento será todo lá. São meses ou até anos. Espero muito que a gente consiga voltar o quanto antes. Vou deixar tudo aqui, casa, emprego, cachorro, nossa vida”, ressaltou Ariana.
Atualmente, o tumor de Walmir está com 18 cm, acima do seu rim esquerdo, comprimindo os órgãos, o que provoca dores e mal-estar, segundo a mãe.
Segundo os médicos, o caso é considerado avançado, pois o tumor está no estágio 3.

Adolescente continua se dedicando aos estudos
Arquivo pessoal