Turistas pescavam em uma fazenda quando invadiram a reserva indígena por engano. Turistas foram proibidos de sair da aldeia após entrarem por engano
Polícia Militar
Um grupo de 13 turistas que foi feito reféns por indígenas da Aldeia Rawo, no Parque Indígena do Xingu, no domingo (27), foi liberado na manhã desta terça-feira (29). A negociação com os índios foi feita pela Fundação Nacional do Índio (Funai) e as polícias Federal e Militar durante dois dias.
Os turistas são de Unaí (MG) e pescavam em uma fazenda quando invadiram a reserva indígena por engano.
Negociação para resgate de reféns foi feita por 2 dias
Polícia Militar
A Funai informou que não trata-se de sequestro. Uma equipe da Fundação foi até o local na noite de domingo e permaneceu no local até o resgate dos turistas. A comunicação no local é difícil, pois não há sinal de celular.
Segundo a PF, as informações repassadas pela Funai são de que os indígenas ficaram com medo por conta da pandemia do novo coronavírus e, por isso, prenderam os turistas e acionaram as autoridades.