Dieynne Saugo, de 33 anos, passou por duas cirurgias e ficou 9 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Cuiabá e, respectivamente, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Foto tirada minutos antes de Dieynne Saugo, de 33 anos, ser picada por uma cobra em Nobres (MT)
Instagram/Reprodução
A médica Dieynne Saugo, de 33 anos, publicou fotos tiradas na Cachoeira Serra Azul, em Nobres, a 151 km de Cuiabá, em 30 de agosto, minutos antes de ser picada por uma cobra jararaca.
Após o incidente, ela precisou passar por duas cirurgias e ficou 9 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Cuiabá e, respectivamente, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.
“Por que comigo? Não sei! Nunca questionei Deus por isso! Mas uma coisa é certa: Deus está́ operando um milagre em minha vida. Ganhei uma nova data de aniversário: 30/08 – o dia do meu RENASCIMENTO”, ressalta na legenda das imagens.
Estoque de soro antiofídico está baixo em várias cidades
A médica afirmou que tomou o soro antibotrópico 3 horas após o ocorrido, pois precisou ir até o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). Devido à distância, foram cerca de 2 horas de viagem até chegar ao hospital.
“Uma dor quase insuportável e com vômitos em jato que provocaram uma Hemorragia digestiva alta”, relatou.
Dieynne foi picada duas vezes, no rosto e no pescoço.
Dieynne Saugo passou por duas cirurgias
Arquivo Pessoal
Durante o período em que esteve na UTI, ela passou por transfusão de sangue e por traqueostomia (pequena abertura na traqueia) para desobstruir as vias aéreas que estavam comprometidas em 70%.
No hospital da capital paulista, ela foi submetida a um teste de coronavírus, e o resultado foi positivo para a Covid-19.
“O final de semana de descanso, aventura e diversão, se tornou de desespero, dor, angústia e aflição”, disse.
Cobra despenca de cachoeira e atinge banhistas em Nobres (MT)
O incidente
Dieynne tomava banho com amigos na Cachoeira Serra Azul, em Nobres, durante um passeio no domingo (30), quando a cobra despencou com a queda d’água da cachoeira e atingiu a vítima. Ela foi picada duas vezes, no rosto e no pescoço.
No momento em que ocorreu o incidente, uma amiga gravava um vídeo no local e acabou registrando o momento em que ela se assusta e grita, ao ser picada.
Dieynne Saudo no local do incidente em Nobres (MT)
Instagram/Reprodução
Ela chegou ao Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) vomitando sangue e com edemas. Após receber o soro antiofídico, ela foi encaminhada ao Complexo Hospitalar de Cuiabá.
O local em que ocorreu o incidente fica a mais de 150 km do hospital. Foram cerca de 3 horas até chegar até a unidade de saúde para a aplicação do soro.
Em nota, o Parque Sesc Serra Azul, responsável pela atração turística, informou que a equipe de saúde da pousada foi chamada imediatamente, deu todas as orientações e está acompanhando o caso desde então.
Médica Dieynne Saugo
Instagram/Reprodução
Vaquinha online
Com a transferência para São Paulo, o plano de saúde não cobriu as despesas da médica. Por causa disso, a família está fazendo uma vaquinha online com a meta de arrecadar R$300 mil para pagar os custos. A campanha também é para ajudar a cobrir os gastos com a transferência dela.
Até agora já foram arrecadados quase R$ 200 mil.
“Venho pedir de coração a ajuda de cada um, para doar o que pode, em pouquinho, em pouquinho, vamos conseguir pagar essa dívida, já agradeço imensamente, que Deus abençoe, e prospere na vida de cada um”, diz a irmã.
Nesta semana, uma pessoa tentou se passar pela médica usando o nome e a foto dela em um perfil falso do WhatsApp para pedir dinheiro.
A vaquinha é o único meio público usado pela família para pedir dinheiro.
“Pessoal, cuidado!!! Estão usando minha foto no WhatsApp para pedir dinheiro. Não sou eu”, disse e médica em uma publicação.