Foram recebidas muitas denúncias sobre a falta de equipamentos de proteção individual. Enfermeiros estão na linha de frente de combate ao coronavírus
AP Photo/Paul Sancya
Mato Grosso é o 3º estado no país com mais mortes por Covid-19 de profissionais da enfermagem. Segundo o presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT), Antônio César Ribeiro, a situação em Mato Grosso é bastante crítica.
Segundo o presidente, desde o mês de março quando foram registrados os primeiros casos de covid no estado, o Coren-MT instituiu o comitê de crise.
“Temos em Mato Grosso 933 casos suspeitos em profissionais de enfermagem. Com 33 óbitos, Mato Grosso só está atrás do Rio de Janeiro e São Paulo.
Também suspendeu todas as fiscalizações de rotina e passou a focar apenas nas fiscalizações relacionadas ao ambiente e condições de trabalhos dos profissionais que estavam à frente da pandemia.
Foram recebidas muitas denúncias sobre a falta de equipamentos de proteção individual.
“Temos a falta de EPIs e depois percebemos a baixa qualidade dos equipamentos, além de números insuficientes de equipamentos para um plantão de 12 horas”, disse.
Ainda de acordo com presidente do Coren-MT, outra questão que preocupa é que falta profissionais para tender a demanda e não há treinamento ou capacitação por parte das unidades de saúde.
De março até 15 de setembro, mais de 100 unidades de saúde foram fiscalizadas pelo Coren-MT.
Foram mais de 200 denúncias checadas, quase 70 notificações extrajudiciais emitidas e 193 fiscalizações realizadas.
O presidente relata que os problemas são falta de equipamentos de segurança para todos os profissionais da saúde, não somente os da enfermagem, falta de condições de trabalho e de pessoal suficiente, e necessidade de realização de concurso público.