Investigação indica que organização criminosa forjava venda de medicamentos no sistema do programa federal para desviar dinheiro. Operação Abutre cumpre 17 mandados de busca e apreensão, 14 deles em Goiás, incluindo o bloqueio de um imóvel de luxo em Luziânia. Operação da PF cumpre mandados em Luziânia, Goiás
PF/Divulgação
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (23) a Operação Abutre, que investiga fraudes em desfavor do programa Farmácia Popular, do Ministério da Saúde. Ao menos R$ 10 milhões foram desviados por um grupo criminoso, de acordo com a investigação.
Cerca de 70 policiais federais cumprem 17 mandados de busca e apreensão. Desses, 14 são cumpridos em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, incluindo o sequestro de um imóvel em um condomínio de luxo. Os demais mandados são cumpridos em Brasília (DF), Nova Cantu (PR) e Confresa (MT).
Os nomes dos envolvidos ou dos respectivos comércios não foram divulgados até a última atualização desta reportagem. Por isso, o G1 não conseguiu identificar a defesa dos investigados.
Dinheiro apreendido em operação da PF que investiga desvios do programa Farmácia Popular
PF/Divulgação
Investigação
De acordo com a investigação, um grupo criminoso adquiriu fundos de comércio de farmácias, de forma fraudulenta, e, em seguida, encerrou as atividades comerciais. No entanto, segundo a PF, continuou realizando lançamentos inexistentes, isto é, forjava vendas de medicamentos no banco de dados da Farmácia Popular, para desviar dinheiro do programa federal.
Além do cumprimento dos mandados de busca e apreensão, foi determinado o bloqueio judicial de várias contas bancárias em nome dos investigados.
O objetivo é identificar outras pessoas que tenham envolvimento com o grupo, além de comprovar a destinação dos recursos públicos desviados, verificando se houve transferências para terceiros, aquisição de bens ou incorporação patrimonial.
Operação da PF cumpre mandados de busca e apreensão, em Goiás
PF/Divulgação
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.