Manifestantes foram às ruas de Recife na sexta-feira (5) pedindo justiça pela morte do menino Miguel Otávio da Silva, de 5 anos. O garoto caiu do 9º andar de um prédio da cidade na última terça-feira (2), de uma altura de 35 metros.

A mãe de miguel, a doméstica Mirtes Renata, deixou o filho aos cuidados da patroa, Sari Mariana Côrte Real, enquanto passeava com o cachorro da família. Imagens das câmeras de segurança mostram que, momentos antes da queda, Sari deixou Miguel sozinho no elevador depois de apertar o botão que levava ao último andar do prédio.

Sari chegou a ser presa por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, mas foi solta depois de pagar uma fiança de R$ 20 mil e, agora, responde em liberdade.

Os manifestantes entenderam que não foi um acidente. O protesto desta sexta-feira (5) partiu do centro da cidade rumo ao edifício de onde Miguel caiu. Lá, eles ergueram rosas e colocaram faixas pretas em sinal de luto.

Uma das bandeiras erguidas pelos manifestantes foi o “vidas negras importam”. O lema é uma referência ao “black lives metter”, que tomou os estados unidos depois da morte de George Floyd e se tornou um símbolo da luta racial.

Os manifestantes se deitaram no chão e gritaram repetidas vezes “eu só queria a minha mãe”. Durante o protesto, os manifestantes usaram máscaras e procuraram manter uma distância mínima por questões sanitárias.

*Com informações do repórter Renan Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui