Apesar do decreto do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), ter autorizado a reabertura de shoppings, bares, restaurantes, parques e pontos turísticos a partir deste sábado (6), a Prefeitura do Rio informou que a cidade segue o plano por fases.

Em nota, a prefeitura disse que “os municípios têm autonomia para regulamentar as medidas de restrição, de acordo com a realidade de cada um” e que segue avaliando diariamente as curvas da contaminação pela Covid-19 com o Comitê Científico, “deixando claro que pode inclusive recuar se as curvas subirem”.

No dia 1º de junho, a Prefeitura do Rio anunciou que o fim das restrições ocorrerá em seis fases, com intervalo de 15 dias entre cada uma. Primeiro serão abertos os setores com grande impacto econômico e baixo risco de contaminação.

Em contrapartida, Witzel autorizou o funcionamento de setores do comércio e da indústria, de templo religiosos e de pontos turísticos em horários específicos e com a capacidade de ocupação reduzida, e prorrogou até o dia 21 de junho a proibição de aulas presenciais nas redes de ensino.

O governo alertou que, em caso de descumprimento das medidas previstas, as forças de segurança pública poderão atuar em eventuais práticas de infrações administrativas e crimes previstos. Em sua decisão, Witzel considerou a redução de óbitos no Estado e menor número de internações por insuficiência respiratória.

Na sexta-feira (5), o Estado do Rio de Janeiro registrou 146 mortes pela Covid-19, atingindo o total de 6.473 óbitos pela doença. O decreto de Witzel foi publicado dois dias depois do Estado ter batido o recorde e 324 mortes em 24 horas. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, 63.066 pessoas já foram contaminadas pelo vírus no Estado.

*Com informações do Estadão Conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui