Candidato teria sido aprovado para o cargo de analista judiciário nas cotas para negros, sem se enquadrar nos critérios. Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) suspendeu nomeação até a conclusão de investigação
Tribunal de Justiça de Mato Grosso/Assessoria
A posse dos candidatos nomeados para o cargo de analista judiciário da Central de Processamento Eletrônico (CPE) na Comarca de Cuiabá foi suspensa pelo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, nessa segunda-feira (15).
A suspensão se deu depois de denúncia de que um candidato havia sido aprovado nas vagas destinadas a candidatos negros.
De acordo com o TJMT, uma investigação será feita para apurar o caso.
O desembargador ainda determinou a manifestação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), já que a instituição foi responsável pela realização do concurso. O G1 entrou em contato com a UFMT, mas ainda não recebeu retorno.
Conforme o TJMT, o item 9 do Edital n. 22/2015/GSCP, que rege o concurso em questão, estabelece a autodeclaração como requisito para concorrer às vagas destinadas aos candidatos negros.
Contudo, o edital diz que, “comprovando-se falsa a declaração, o candidato será eliminado do concurso e, se houver sido nomeado, ficará sujeito à anulação da sua nomeação, após procedimento administrativo em que lhe sejam assegurados o contraditório e a ampla defesa, sem prejuízo de outras sanções cabíveis”.
Veja mais notícias da região no G1 Mato Grosso